O Ambiente de dados comum (CDE) e a sua importância.

Como resolver a sobrecarga de dados no setor da Construção?

É justo dizer que um projeto de construção típico gera uma quantidade colossal de dados. Qualquer projeto, desde uma pequena adaptação a um campus de tecnologia de 40 hectares, requer a criação e troca de uma grande quantidade de dados durante o ciclo de vida do projeto. Infelizmente, muitas equipas lutam para fazer a gestão e distribuir essas informações de maneira eficaz. A má gestão resultante em empresas que não têm o seu próprio sistema pode levar a erros, refazer o trabalho, atrasos, ultrapassar o orçamento e até litígios.

A boa notícia: existem maneiras de resolver a sobrecarga de dados na construção. Uma das melhores maneiras de lidar com esse problema é criar uma forma padronizada de estruturar os dados e criar um sistema de colaboração eficiente ou, mais especificamente, adotando um ambiente de dados comum – Common Data Environment (CDE) -.

O que é um ambiente de dados comum (CDE) e por que o deve preocupar?

Definição de um ambiente de dados comum

“O Common Data Environment (CDE) é a única fonte de informação usada para coletar, gerir e partilhar documentação, modelos gráficos e dados não gráficos por toda a equipa do projeto”, diz Designing Buildings Wiki. “A criação dessa fonte única de informações facilita a colaboração entre os membros da equipa do projeto e ajuda a evitar a duplicação e erros.”

Em outras palavras, um ambiente de dados comum é um repositório digital onde as informações são reunidas como parte de um fluxo de trabalho típico de Modelos de Informação para a Construção (BIM) . Na verdade, ele foi originalmente desenvolvido e popularizado como um componente dos padrões BIM de nível 2 no Reino Unido. Hoje, ele vai além dos dados e informações do BIM e pode incluir qualquer documentação como contratos de projeto, programação, pedidos de alteração e muito mais.

Basicamente, se forem informações criadas durante um projeto, elas estarão disponíveis para todos os que receberem permissão desde o início até ao final do projeto e depois. No entanto, alguns obstáculos importantes tornam difícil para as empresas criar um CDE para os seus projetos e os seus negócios.

Desafios atuais nos ecossistemas do Software de Construção

A ideia de um ambiente de dados comum é bastante atraente, mas a realidade com a qual a maioria das equipas de construção trabalha pode não ser a mais ideal. Muitos dos desafios existentes tornam a execução de projetos mais difícil de se alcançar dentro do prazo e do orçamento, sem barreiras e com colaboração contínua entre grupos de trabalho. Estes obstáculos incluem :

  • Tecnologias que não se comunicam: como as pessoas, diferentes sistemas de software devem trabalhar juntos para uma colaboração ideal. Muitas vezes, isso não acontece em projetos de construção. Embora cada software possa ter um propósito ou benefício único, isso não é muito relevante se as informações não forem partilhadas e integradas por meio de canais ou plataformas.
  • Sem um hub central: Mais uma vez, quando os sistemas de software não estão integrados com um hub central, as informações do projeto tornam-se inconsistentes e inacessíveis. Sem uma única fonte confiável, os detalhes podem-se tornar confusos, as opiniões começam a pesar mais do que os fatos e um projeto pode apresentar altos custos e atrasos no planeamento.
  • Perda de dados: ao longo de um projeto, as informações devem passar de uma equipa para outra e de uma fase para outra, à medida que o projeto avança. Esses pontos de transferência apresentam muitos riscos, incluindo compatibilidade de ficheiros, perda de detalhes, conforme as informações são transferidas de um aplicativo para outro e o risco de erros e omissões por meio de processos manuais. Devido a esses fatores, é fácil ver porque mais de 95% dos dados do projeto são descarregados, mas não usados ​​diariamente.
  • Fluxos de trabalho e processos inconsistentes – Frequentemente, os fluxos de trabalho e os processos do projeto dependem das equipas do projeto e das partes interessadas individuais. Quando os sistemas não se comunicam entre si, o problema é agravado, pois diferentes tarefas requerem, inevitavelmente, fluxos de trabalho e processos diferentes. Tudo isso contribui para a desinformação, confusão por parte dos colaboradores e contratados e potenciais disputas.
  • Sem padronização: o mesmo vale para os padrões. Quando os fluxos de trabalho e os processos são diferentes, os padrões pelos quais eles são executados e avaliados também diferem. Isso leva à padronização em ilhas, o que, por sua vez, significa que alguns departamentos consideram um projeto (ou uma etapa dentro dele) bem-sucedido, enquanto outros discordam.
  • Desconectado da cultura da empresa: as iniciativas de tecnologia e dados em grande escala geralmente falham sem uma orientação e não cumpren as expectativas esperadas pela direção. Para construir uma base para o florescimento de uma construção ligada – incluindo processos, fluxos de trabalho, padrões e acesso a dados comuns – ela deve fazer parte da cultura da organização.
  • Falta de confiança: a confusão, a duplicação e a falta de informações são frustrantes e as pessoas pouco fazem para consertá-los. Quando não estão facilitando um para o outro, eles acabam culpando o software. E se as pessoas não podem confiar nos seus colegas e as ferramentas, o que resta?

Felizmente, um ambiente de dados comum ajuda muito a resolver muitos destes desafios.

Por que adotar um ambiente de dados comum?

Além de abordar os desafios acima, há muitos motivos convincentes para implementar um ambiente de dados comum em projetos de construção:

  • Melhora a colaboração: as tecnologias digitais provaram repetidamente que podem melhorar a colaboração se usadas corretamente. Isso significa que todos os dados e as informações do projeto devem fluir e ser atualizados num sistema centralizado. Isso leva a uma melhor coordenação e trabalho em equipa, tanto internamente quanto entre as equipas.
  • Crie uma fonte de dados única e segura: nunca subestime o poder de uma fonte de dados única e confiável num projeto. Um lugar seguro para os membros da equipa acederem aos processos, alterações e dados em tempo real leva a uma melhor tomada de decisões e perceções em todos os projetos e até mesmo em toda a empresa.
  • Melhora a eficiência e a qualidade: os ambientes de dados comuns reduzem a necessidade de criar dados manualmente, levando à redução de erros de entrada e perda de informações. Como resultado, toda a empresa tem melhor acesso às informações e capacita as equipas para tomar decisões com maior rapidez.
  • Reduza o risco: um CDE reduz o risco com uma maior transparência e conhecimento de todo o conteúdo do projeto. Com o tempo, isso permite a melhoria contínua e a previsibilidade, o que é crucial para se destacar no futuro para uma empresa.
  • Reforçar a segurança: Com um CDE, os administradores e os profissionais de TI têm um melhor controlo dos dados e informações, levando a uma maior confiança no sistema.

Atributos de um ambiente de dados comum

Agora que está convencido de que vale a pena ter um ambiente de dados comum, é importante ser capaz de escolhê-lo. Algumas construtoras acreditam que têm um ambiente de dados comum, mas podem estar faltando os recursos essenciais para colher os benefícios de um CDE.

Um CDE eficaz tem os seguintes atributos:

  • Fácil de usar – a experiência do utilizador é um componente essencial de um ambiente de dados comum. Para ser eficaz, deve ser fácil de usar, o que significa que é intuitivo, com pouca ou nenhuma formação para as equipas trabalharem no sistema.
  • Acessível: baseado na nuvem significa que o acesso esté aberto (com os controles adequados, é claro) para qualquer pessoa que precise das informações, esteja no escritório ou em outro local de trabalho.
  • Integrado: um CDE deve funcionar com os sistemas e processos atuais. O objetivo é quebrar barreiras e aumentar a colaboração em geral.
  • Padronizado e escalável: um CDE deve permitir que as empresas padronizem fluxos de trabalho e processos. Isso funciona para grandes e pequenas empresas, bem como o seu crescimento em qualquer fase.
  • Seguro – num ambiente de dados comum e funcionando bem, os dados nunca são comprometidos. Um ambiente de dados comum é seguro para os documentos e as informações comerciais confidenciais.

Os pontos acima são imprescindíveis no sistema de que precisa para trazer mais coerência e colaboração aos seus projetos. Agora, vamos dar uma olhada nas etapas que a sua empresa pode seguir para começar a implementar um ambiente de dados comum.

Perguntas a se fazer ao considerar a implementação de um CDE

É essencial não saltar cegamente para um novo sistema. As empresas que fazem as perguntas certas e implementam os processos certos alcançam os objetivos. Algumas das coisas mais importantes a se perguntar ao considerar se deve ou não implementar um ambiente de dados comum na sua empresa incluem:

Como mencionado acima, sem a aceitação das partes interessadas, as tentativas de implementar um CDE provavelmente falharão. Para obter os resultados ideais, certifique-se de abordar esta questão antes de apresentar um ambiente de dados comum para os seus negócios e projetos. Se a aceitação por parte da equipa parecer ser um desafio, poderá executar programas piloto para mostrar a sua eficácia. Tenha em mente que escolher um CDE fácil de usar também aumentará a adoção da tecnologia.
Esta é uma pergunta mais importante do que pensa. A verdade é que, como qualquer nova tecnologia, o sistema é difícil de implementar em grande escala em simultâneo, e pode produzir atritos se tentado. Consequentemente, é importante perguntar-se: Na sua empresa isso pode começar ao nível da gestão ou ao nível da execução? Onde experimenta a maior resistência e onde pode causar mais impacto? Precisa investir em formações para uma implementação eficaz? Uma execução passo a passo é sempre a melhor aposta.
Sem padrões, não faz muito sentido implementar um ambiente de dados comum. Quais os processos e fluxos de trabalho que implementará primeiro? Onde a padronização pode ser mais eficaz e ideal? Como está definindo os processos de distribuição e partilha de informações para as equipas e toda a empresa? Todas estas questões, e muito mais, são vitais para a criação de uma estrutura na qual um CDE possa ter sucesso.
Os esforços das pessoas fazem de um ambiente de dados comum um sucesso. Quando pensar em criar um CDE, comece a definir quem vai fazer o quê na sua empresa. Por exemplo, quem ou qual a equipa na sua empresa que será o principal ponto de contato para a implementação e configuração dos fluxos de trabalho?
Em última análise, estabelecer um ambiente de dados comum ajuda a definir o cenário para o amanhã. É fundamental fazer perguntas como: Como mede o ROI? Quais são os seus objetivos futuros? e, Vai continuar a melhorar?

Um ambiente de dados comum para hoje e amanhã

Não deixe os dados escaparem pelas fendas. Um ambiente de dados comum prepara os seus negócios e projetos para obter mais desempenho e benefícios, permitindo que a sua equipa otimize e use as informações nos momentos mais importantes. Melhor ainda, gerir os dados adequadamente ajuda a impulsionar as tecnologias futuras, incluindo machine learning e inteligência artificial, para acelerar a entrega do projeto. Adote um ambiente de dados comum para garantir que a sua abordagem para os projetos e a colaboração permaneça forte desde o projeto à exploração.

O Autodesk Construction Cloud ™ está ajudando a cumprir o objetivo de ligar a construção

O Autodesk Construction Cloud ™ está ajudando a cumprir a meta de uma construção ligada, utilizando tecnologia de ponta numa plataforma unificada. Saiba mais sobre como o Autodesk Construction Cloud pode beneficiar a sua empresa aqui:

SAIBA MAIS

Para aconselhamento entre em contato connosco:

CONTATAR

Sobre o Autor:

Compartilhe este conteúdo

Entradas recentes